top of page

Informativo Quinzenal

METODOLOGIAS INOVADORAS NA EDUCAÇÃO SUPERIOR: OPORTUNIDADE EM CENÁRIO DE TRANSFORMAÇÃO DIGITAL

A popularização da internet modificou comportamentos e hábitos das pessoas, possibilitando o surgimento de novos modelos de negócios, produtos e diferentes maneiras de ensinar e aprender. Vivenciamos uma nova maneira de assistir filmes, via streaming, bem como, passamos a utilizar cotidianamente o smartphone e outras ferramentas como recurso de entretenimento, trabalho (anywhere office, telemedicina, audiência virtual, etc.) e aprendizagem. Em síntese: cada vez mais a tecnologia faz parte de nossas vidas.


A tecnologia surge como ferramenta de auxílio e transformação educacional, uma vez que pode conferir ao estudante maior flexibilidade na aprendizagem e, aos professores, novos papeis no processo de ensino e aprendizagem, como também, favorecer a aplicação de diferentes metodologias de aprendizagem, voltadas para o desenvolvimento de competências.


Em outras palavras, se antes a preocupação do professor voltava-se para a transmissão de conhecimento (ensino de determinados conteúdos), agora, com o uso da tecnologia, é possível disponibilizar o conteúdo antecipadamente, utilizando inúmeros recursos ou mídias (vídeos, podcast, infográficos, etc.) para que, na sala de aula, a aprendizagem se volte para o desenvolvimento de competências, ou ainda, para a aplicabilidade do conhecimento, evidenciando significado à aprendizagem do estudante.


Em outros termos, é possível integrar diferentes metodologias inovadoras na educação superior, para, em um primeiro momento, favorecer o desenvolvimento de habilidades cognitivas como a de compreensão (com o uso da sala de aula invertida), para, posteriormente, estimular habilidades cognitivas mais complexas, como a resolução de problemas, articulando com habilidades comportamentais, como o trabalho em equipe, por meio da aprendizagem baseada em projetos, da resolução de estudos de casos ou outra metodologia.


Tal mudança possibilita novos desenhos ou modelagem curricular, levando a maior aplicabilidade do conhecimento, aproximando demandas do mercado profissional à realidade acadêmica. Simultaneamente, conduz o professor a assumir novos papéis na aprendizagem, como a de gestor da aprendizagem, tutor, mediador, facilitador e orientador. Abre-se possibilidade para centrarmos cada vez mais numa educação que vá além de conteúdos, para também, o desenvolvimento das chamadas soft skills.


Trata-se de uma nova realidade que muda a cada dia e, com ela, transforma hábitos e comportamentos.

Com o emprego de novas ou diferentes metodologias de aprendizagem, integrando recursos off-line e on-line novas oportunidades surgem, e, com elas, maior necessidade de planejamento da aprendizagem, acompanhamento e avaliação dos estudantes.


No entanto, torna-se relevante ressaltar que tecnologia, recursos e ferramentas virtuais, bem como, metodologias de aprendizagem são “meio”, portanto, devem ser utilizadas como tal. A competência deve ser a finalidade, materializada nos indicadores de aprendizagem, na empregabilidade e, até, na capacidade de contribuir para a sociedade, gerando novos empreendimentos ou negócios.


A transformação digital vem impactando diversos setores, com a educação não poderia ser diferente. Trata-se de uma nova realidade que muda a cada dia e, com ela, transforma hábitos e comportamentos, inclusive àqueles voltados para a aprendizagem. A integração do físico ao digital é uma tendência natural. As IES tem a oportunidade de usar recursos e ferramentas virtuais para favorecer a jornada de aprendizagem do estudante. Quando termina a transformação digital? Não termina, é um processo e, nesse percurso, ainda virão muitas mudanças.






Fausto Camargo

Consultor da Hoper Educação.



ATENÇÃO: Não é permitida a reprodução integral do conteúdo acima. A reprodução parcial é permitida apenas na forma de citação e com link para o conteúdo na íntegra. Plágio é crime (Lei 9610/98).

 

860 visualizações

Comments


Leia Mais

bottom of page